Usinagem de Plásticos de Engenharia

Escrito por Nitaplast Data: 8 de fevereiro de 2024

Os plásticos de engenharia são materiais versáteis amplamente utilizados em vários seguimentos industriais. Entretanto, há técnicas de usinagem específicas para diferentes tipos de materiais. Para garantir resultados eficientes e de alta qualidade, destacamos alguns cuidados e procedimentos de acordo com cada material.

1. Poliamida 6

A poliamida 6, também conhecida como nylon 6, é conhecida por sua resistência ao desgaste e boa estabilidade dimensional.

Ao usinar esse material, é importante a utilização de fluído de corte para evitar a elevação da temperatura gerada pelo atrito da ferramenta com o material. A não utilização de fluido pode acarretar perda de resistência mecânica a tração em temperaturas elevadas.

Cuidados específicos durante a furação incluem a escolha da velocidade adequada, os resíduos (cavacos) gerados pela perfuração deve ser constantemente removido da ferramenta para evitar o atrito que também contribui para elevação da temperatura.

2. POM (Polioximetileno)

O POM, também chamado de poliacetal, é um plástico de engenharia conhecido por sua alta rigidez e resistência mecânica a tração e ao desgaste.

Ao usinar o POM, é essencial manter baixas velocidades de corte* para evitar a geração de calor excessivo, que pode levar à deformação do material. Cuidados especiais durante o acabamento permitem obter uma superfície mais lisa e livre de rebarbas.

3. PP (Polipropileno)

O polipropileno é amplamente utilizado devido à sua leveza e resistência química.

Durante a usinagem do PP, é importante controlar a temperatura para evitar a fusão do material. Ao furar, use velocidades* moderadas, ferramentas adequadamente afiadas* e fluidos de corte para melhorar a precisão e evitar a aderência.

4. PEAD (Polietileno de Alta Densidade)

O PEAD é conhecido por sua resistência ao impacto e durabilidade.

Durante a usinagem, assim como no caso do PP (polipropileno) evite velocidades de corte* muito altas para prevenir a deformação do material.Cuidados especiais ao furar incluem a escolha de brocas adequadas e a aplicação de técnicas que minimizem a geração de calor.

5. UHMW-PE (Polietileno de Ultra Alto Peso Molecular)

O UHMW-PE possui excelente resistência ao desgaste e é autolubrificante.

Ao usinar este material, é essencial usar ferramentas afiadas* e manter baixas velocidades de corte para evitar o acúmulo de calor. Durante a furação, é importante o uso de fluídos de corte para evitar a elevação de temperatura do material.

6. PTFE (Politetrafluoretileno)

O PTFE é reconhecido por sua excelente resistência química e a altas temperaturas.

Durante a usinagem, evite velocidades* muito altas. Ao furar, use brocas afiadas para evitar rebarbas, e a aplicação de fluidos de corte melhoram a precisão da peça acabada.

7. PU (Poliuretano)

O poliuretano é utilizado devido à sua flexibilidade e resistência ao desgaste.

Ao usinar PU, a afiação da ferramenta* e o controle das velocidades de corte diminuem a geração de calor excessivo. Durante a furação, a estabilidade da peça é crucial para obter acabamentos precisos.

Como podemos observar, a usinagem de plásticos de engenharia requer uma compreensão aprofundada das propriedades específicas* de cada material. Todos requerem cuidados com: a temperatura, a velocidade de corte e técnicas de furação para garantir resultados de alta qualidade.

Ao escolher a técnica de usinagem adequada para cada plástico de engenharia, os profissionais otimizam os processos tornando-os mais eficientes para obter produtos finais de alto desempenho.

Abaixo destacamos alguns pontos importantes:

  1. Ferramentas de corte:
    • Escolha ferramentas de corte de metal duro (carboneto de tungstênio) para garantir uma vida útil mais longa da ferramenta.
    • Utilize geometrias de corte adequadas para materiais plásticos, como ângulos de folga e arestas de corte positivas.
  2. Velocidade de corte:
    • Ajuste a velocidade de corte para evitar o superaquecimento. Velocidades mais baixas são geralmente preferíveis para evitar elevação de temperatura e degradação do material.
  3. Avanço e profundidade de corte:
    • Mantenha avanços moderados para evitar a geração de calor excessivo.
    • Controle a profundidade de corte para evitar vibrações e garantir uma qualidade de superfície adequada.
  4. Resfriamento:
    • Use um fluído de corte adequado para resfriar a região de corte e reduzir o risco de degradação do material.
    • Considere o uso de técnicas de resfriamento por ar ou líquido, dependendo da complexidade da peça.
  5. Fixação da peça:
    • Certifique-se de fixar firmemente a peça para evitar vibrações e garantir a precisão dimensional.
  6. Tolerâncias e acabamento superficial:
    • Considere as tolerâncias desejadas e o acabamento superficial ao escolher as configurações de usinagem.
    • Pode ser necessário realizar operações de acabamento para atender aos requisitos específicos da aplicação.
  7. Máquina CNC:
    • Use uma máquina CNC de alta precisão para garantir a consistência na produção.


* Essas informações você encontra em nosso folder técnico no https://www.nitaplast.com.br/folder-nitaplast/. Se preferir o folder impresso entre contato com nossa equipe para informarmos o revendedor Nitaplast mais próximo.